Observação do maçarico-de-papo-vermelho com bandeirolas no litoral do RS

COA-POA

22 de Abril e 01 de Maio de 2018

Pelo terceiro ano seguido o grupo de estudos do maçarico-de-papo-vermelho (Calidris canutus rufa) foi a campo para identificar indivíduos com bandeirolas e anilhas. A área de estudo incia no litoral do RS na Praia do Magistério, e extende-se até o Farol da Solidão, em Mostardas. São aproximadamente 60 km de litoral percorridos de carro em 4 a 5 horas,ou seja numa velociade média de 12 a 15km/hora.

canutus rufa

Foto: Gilberto Sander Muller

 

Neste ano tivemos resultados espetaculares pois batemos o recorde em:

  • quantidade de individuos avistados = 3.333 C.canutus
  • número de individuos identificados com bandeirolas ou anilhas = 43, sendo 41 com bandeirolas com códigos visíveis
  • identificamos o indivíduo marcado com bandeirola a mais tempo = o AOK Laranja (codigo de cor e letras que indicam que ele foi anilhado na Argentina em 2007).

Esta ave deve ter voado mais de 300.000km ao longo de sua vida ! Pois eles voam desde o Círculo Ártico,ao norte do Canadá, onde acasalam e procriam, e depois voam em longas escalas paara o litoral do Estados Unidos, do Brasil, até chegarem ao sul da Patagônia: mais de 12 mil quilometros de ida e outros tantos na volta.

Calidris

Viagem para o litoral gaúcho em busca do Calidris canutus (por Gilberto Sander Müller)

 

Aproveitando a folga do dia do trabalho, resolvemos dar uma esticada de poucas horas até o litoral gaúcho, para conferir a passagem dos Calidris canutus (maçarico-de-papo-vermelho) rumo ao ártico canadense. Todos os anos, essa espécie nativa do ártico voa de um polo ao outro no continente, fugindo das estações mais frias e em busca do alimento que ainda mantém a decrescente população atual.

Nosso associado Roberto Dall Agnol esteve na América do Norte e aproveitou para fazer algumas saídas para observação de aves.

Acesse >>este link<< para baixar o relatório da viagem.

Por Roberto Dall'Agnol 

Data: 15 a 30 de julho de 2014

Durante o mês de julho de 2014, constava na minha agenda uma viagem de negócios para Candeias, na Bahia (próximo a Salvador). Como este é o mês de férias escolares, resolvi programar também as férias da família e conhecer algumas reservas e parques do Nordeste, com o objetivo de observar aves endêmicas da região. Assim, planejei visitar: 

Papa-piri

Por Gilberto Müller

Data: 21 a 23 de dezembro de 2013

Busca de uma espécie específica – o papa-piri (Tachuris rubrigastra). O grupo de observadores era composto de dois associados do COA-POA – Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre.

A Lagoa do Peixe dista 250km de Porto Alegre, sendo o acesso por uma estrada de pista simples asfaltada, mas com muitas crateras e desníveis. Eu optei por fazer o pior trecho (de Palmares a Mostardas) pela praia, evitando o asfalto, e já observando os bandos presentes. 

Espinilho

Visitando o Parque Estadual do Espinilho, Barra do Quaraí, RS

Por Kleber Pinto Antunes de Oliveira e Jorge Correia Souza Neto

 

No dia 14 de fevereiro de 2014, visitamos o Parque Estadual do Espinilho, em Barra do Quaraí, Rio Grande do Sul. O parque possui área de 1.617 hectares. Barra do Quaraí fica distante de Porto Alegre 700 quilômetros e possui cerca de 4 mil habitantes. Estávamos acompanhados por Ricardo Oliveira de Oliveira (primo de Kleber), residente em Uruguaiana e profundo conhecedor da região, inclusive do Parque Estadual do Espinilho. A visita fez parte de uma viagem de quatro dias até Uruguaiana e Barra do Quaraí, com um total de 11 locais visitados (incluindo dois em Barra do Quaraí e nove em Uruguaiana). Observamos ao todo 126 espécies de aves durante a viagem.