Oficina do COA-POA foi um sucesso 

A 5ª edição da Oficina de Iniciação à Observação de Aves, realizada no sábado, dia 26 de setembro, no Jardim Botânico, recebeu muitos elogios dos participantes. 

Os trabalhos iniciaram às 8 h, com a recepção dos 16 alunos, que por volta das 8:30 h receberam as primeiras orientações de como regular os seus binóculos, para então iniciarem a parte prática da oficina. Com o acompanhamento de cinco monitores do COA-POA, os alunos dedicaram duas horas às observações, durante as quais puderam ter contato com 35 espécies de aves. Apesar do tempo nublado e um pouco frio, as aves estavam bem ativas, com atitudes típicas da estação primaveril, o que encantou os participantes.

 


Foto: Walter Hasenack

 

O módulo teórico foi iniciado às 10:30 h, com as boas vindas dadas pelo presidente do COA-POA, seguindo-se as palestras dos biólogos Eduardo Chiarani e Glayson Bencke, que detalharam as principais características que diferenciam as aves de outros animais, bem como um detalhado panorama de 29 grupos de aves que tornam o Rio Grande do Sul um estado tão especial para a observação de aves. Mesmo com menos de três por cento do território nacional, o RS abriga um terço de toda a avifauna brasileira.

Após uma pausa para o almoço, os trabalhos foram retomados com um rápido giro para novas observações de aves no Jardim Botânico. O ponto alto foi a presença de um filhote de cambacica recém-saído do ninho. Ao realizar os seus primeiro voos, ainda desajeitados, chegou a pousar no colo de uma aluna da oficina! 

Seguiram-se as palestras de Maria do Carmo Both e Walter Hasenack, que falaram sobre onde, quando e como podemos observar aves e de como registrar as observações.

Eduardo Chiarani retomou a palavra para falar sobre o tema da identificação das espécies, ou seja, sobre como reconhecer e dar nomes às aves observadas, chamando a atenção dos participantes para os pequenos detalhes que podem fazer a diferença nessa hora.

O biólogo César Santos encerrou os temas teóricos e, sentado ao computador, demontrou na prática os principais recursos eletrônicos disponíveis para o observador de aves, como o Wikiaves, Xeno-canto, a página do COA-POA e listas de aves do RS e Brasil.

A oficina encerrou com a entrega dos certificados e de um pôster com imagens de aves da região da Lagoa do Peixe a cada participante. Diversos alunos agradeceram a iniciativa do COA-POA e manifestaram a sua satisfação com a oficina.