Resumo 

O COA–POA visitou, pelo quinto ano consecutivo, o Refúgio de Vida Silvestre Banhado dos Pachecos, em Viamão, RS. Nessa região se localizam as nascentes do rio Gravataí, um dos fluentes do rio Guaíba. A área de preservação citada possui 2.500 hectares. O dia estava nublado, com nevoeiro, mas sem chuva.

O grande sucesso da saída do COA ao Parque Estadual do Espinilho em 2014 levou o grupo de volta a esse pedacinho muito especial do Rio Grande do Sul, onde se podem ver espécies que não são encontradas em nenhuma outra parte do país. O Parque situa-se no extremo oeste do Rio Grande do Sul, no município de Barra do Quaraí, e protege os últimos remanescentes de vegetação de parque espinilho – ou estepe parque – no Brasil. Uma inovação deste ano foi a “esticada” até a localidade de Pai Passo (30°16’25”S, 57°25’45”W), por sugestão do casal de observadores Ricardo de Oliveira e Gina Bellagamba, de Uruguaiana, que encontramos por lá. Observamos um total de 112 espécies, sendo 93 dentro do Parque. Fizemos o segundo registro no Rio Grande do Sul do pica-pau-anão-barrado e outros importantes registros de espécies raras ou ainda pouco conhecidas no estado, como o cardeal-amarelo, o olho-de-ouro, o alegrinho-trinador, a maria-cavaleira e a iraúna-de-bico-branco.

Relatório

Para baixar o relatório, clique >>aqui<<

Fotos e links 

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre participou, pela quarta vez, da saída embarcada para observação de aves e mamíferos marinhos organizada pelo professor Ignacio Moreno, do curso de Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O barco fretado saiu do píer de embarcações turísticas do rio Mampituba, na cidade de Torres, para um deslocamento ao alto-mar, passando pelo Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos. Dez integrantes do COA-POA estiveram presentes. Além dos estudantes da UFRGS, participaram da saída estudantes da cidade de Lajeado.
 

Resumo 

A segunda visita do COA-POA ao Parque Estadual de Espigão Alto rendeu excelentes observações, tal como a primeira, em 2014. Registramos 128 espécies, das quais 100 no interior do parque. Uma espécie, a jaçanã, constituiu novidade para a unidade de conservação, mas o bacurau, caturrita, chopim-do-brejo e asa-de-telha, observados nos arredores, também não possuíam registros prévios na área. Mais uma vez foram muito bem observados a coruja-de-igreja, os papagaios-de-peito-roxo, o barbudinho, o bico-grosso, a figuinha-de-rabo-castanho e o negrinho-do-mato. Espécies apenas registradas em 2014 que puderam ser bem visualizadas este ano foram o arapaçu-grande-de-garganta-branca, o miudinho e a coruja-listrada. O registro da trovoada-de-bertoni foi muito comemorado, pois mostra que essa espécie ameaçada ainda persiste na área. As observações mais empolgantes ficaram por conta de um trio de sanhaços-de-fogo ao sul da vila de Espigão Alto e de um par de joões-bobos perto do parque.

Relatório

Para baixar o relatório, clique >>aqui<<

Fotos e links 

Resumo 

No dia 12 de abril de 2015, o COA-POA visitou, pela segunda vez, estradas rurais dos municípios de Morro Reuter e Santa Maria do Herval. A saída anterior à região ocorreu em outubro de 2013. Percorremos um pequeno trecho da Linha Cristo Rei, em Morro Reuter, e 2,3 km de estrada no vale do rio Loch, em Santa Maria do Herval. Observamos 79 espécies. Na Linha Cristo Rei, o destaque foi um macho de corocoxó, observado repetidas vezes. Nesse mesmo ponto, registramos ainda o piolhinho-chiador, pica-pau-anão-carijó, pinto-do-mato, piolhinho-verdoso e sanhaçu-frade, entre várias outras espécies. No vale do rio Loch, as observações incluíram um joão-velho, um belo macho de surucuá-variado alimentando-se de uma enorme taturana verde e um casal de saís-azuis, além do patinho, verdinho-coroado, abre-asa-de-cabeça-cinza, dançador, beija-flor-de-topete e alma-de-gato. Uma correição de jovens aranhas caranguejeiras atravessando a estrada no rio Loch surpreendeu a todos.

Relatório

Para baixar o relatório completo, acesse >>este link<<. 

Fotos e links 

Resumo 

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre – COA-POA – realizou sua sétima visita ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe desde a sua reativação, em maio de 2009. Com aproximadamente 32.000 ha, o parque é considerado um "santuário das aves migratórias", compreendendo diversos ecossistemas importantes para espécies residentes e migratórias.

Relatório

Para baixar o relatório completo, acesse >>este link<<. 

Fotos e links 

Resumo 

De 14 a 17 de fevereiro de 2015, o COA realizou a quinta edição da sua já tradicional saída de carnaval à Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA), na região nordeste do Rio Grande do Sul. As condições do tempo não foram as melhores para a observação de aves, com longos chuvisqueiros, mas mesmo assim registramos 118 espécies durante a excursão, 102 delas dentro da FLONA e as demais nas imediações. Três espécies vistas em 2015 ainda não haviam sido registradas em saídas do COA à área (urubu-rei, bico-grosso e coleirinho) e uma quarta (sabiá-barranco) representou uma adição à lista das aves da FLONA. Outros destaques foram um gavião-de-cauda-curta melânico, tiribas-de-testa-vermelha com mutação azul da plumagem, um tovacuçu visto de relance, bandos de tesourinha-do-mato (um deles com nove indivíduos, entre jovens e adultos!), o caneleirinho-de-boné-preto, o piolhinho-chiador e até uma irara! Confira no relatório e nos álbuns de fotos.

Relatório

Para baixar o relatório, clique aqui. 

Fotos e links 

Confraternização muito agradável (por Jurema Josefa)
 
A confraternização de final de ano do COAPOA foi muito agradável, nos jardins da residência da  família da associada Maria do Carmo Both, a Duca,  no bairro Niterói, em Canoas-RS, onde todos foram recebidos com muito carinho.

Na oportunidade, domingo, dia 07 de dezembro, os associados  trocaram ideias sobre as promoções realizadas durante todo o ano, degustaram um churrasco com carne e acompanhamento de primeira e brincaram de Amigo Secreto.

O presidente Walter Hasenack agradeceu a contribuição de todos para o sucesso das atividades que foram realizadas em 2014  e  anunciou que a diretoria já traçou as atividades para 2015, que constarão de saídas e de reuniões com palestras visando sempre o aprimoramento e levar mais conhecimentos aos associados e estudantes que buscam apoio no COAPOA. Conforme Walter a primeira saída em 2015 será no Carnaval, com ida até a Flona, em São Francisco de Paula. As tratativas para a utilização dos espaços no local estão sendo feitas pela diretoria, visando criar as condições necessárias ao bem estar do grupo e garantir o êxito na observação.

Participaram da confraternização 19 pessoas.

 


Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

 

 Foto: Silvia Richter

Saída ao mar para observação de aves pelágicas - Torres

Atividades: O COA-POA foi novamente convidado a participar desta interessante saída, que é organizada por professores da UFRGS e que tem como objetivo a observação de mamíferos e aves marinhas. A sistemática adotada nos anos anteriores foi uma navegação inicial até a Ilha dos Lobos, onde é feita a observação de lobos e leões marinhos por aproximadamente 45 minutos. Depois a embarcação segue para um ponto que dista aproximadamente 5 milhas náuticas da costa, onde são lançadas iscas para atração de aves pelágicas. O tempo desta observação depende da abundância de aves atraídas. Em saídas anteriores teve a duração de aproximadamente uma hora. Em consições normais o retorno ao píer se dá por volta das 15 horas.

Data: 25 de outubro de 2014 (sábado)

Horário e local: os participantes deverão apresentar-se no píer de embarcações turísticas no Rio Mampituba em Torres às 10:30h. Previsão de embarque às 11:00 h. O tempo de navegação previsto é de 4 horas.

Número de vagas: foram oferecidas 15 vagas para o COA-POA.

Deslocamento: o deslocamento até Torres será de responsabilidade de cada participante. Caronas poderão ser combinadas pelo fórum. Existe também a possibilidade de utilizar-se ônibus de linha.

Valores: o valor da locação da embarcação é rateado pelo número de participantes. O cálculo será feito antes do embarque. O pagamento será feito no ato do embarque e a previsão é que o valor fique entre 40 e 50 reais.

Inscrição: através do tópico específico para esta saída criado no fórum do COA-POA (neste link), da seguinte maneira:

  • até o final do dia 21 de outubro haverá prioridade de inscrição para os associados que pagaram a anuidade de 2014.
  • a partir de 22 de outubro, se houver vagas sobrando, estas poderão ser ocupadas por associados que não pagaram a anuidade de 2014.
  • As inscrições serão encerradas às 24 horas do dia 23 de outubro, mesmo que ainda restem vagas disponíveis.

Informações adicionais:

  • Menores de idade poderão participar somente com acompanhamento de pelo menos um dos pais ou de um responsável legal. A idade mínima para participar desta saída é 14 anos completos.
  • Não existe seguro de vida contratado pela UFRGS ou pelo COA-POA para os participantes. A participação é por conta e risco de cada um.
  • O COA-POA é uma entidade convidada nesta atividade e oferece a oportunidade de participação nesta saída a seus associados, sem cobrar nenhuma taxa ou comissão neste passeio. Assim nem a entidade COA-POA, nem seus dirigentes assumem qualquer responsabilidade por riscos advindos desta atividade. Os participantes que se inscreverem, declaram através do ato de inscrição, estarem cientes de que a navegação em mar aberto oferece riscos inerentes à atividade e que assumem estes riscos sem nenhuma responsabilidade adicional para o COA-POA ou para qualquer um de seus dirigentes.
  • A embarcação é contratada pela UFRGS e deverá atender todos os requisitos legais para transporte turístico. Os participantes têm o direito de solicitar a comprovação do atendimento destas exigências no ato do embarque. A decisão de embarque é individual de cada participante. Em caso de pessoas menores de idade, esta decisão é de responsabilidade do maior acompanhante.
  • Recomendamos que pessoas sensíveis a enjoos providenciem medicação adequada, pois a experiência dos anos anteriores mostrou que o porcentual de pessoas que passaram mal neste passeio chegou até a 50%. Isto depende muito das condições do mar. As pessoas que passam mal desfrutam muito menos o passeio. Por isto recomendamos que as providências sejam tomadas antes do embarque.
  • Este passeio está sujeito a condições favoráveis de navegação. A decisão de sair ou não ao mar é responsabilidade do comandante da embarcação. Muitas vezes a condição de navegabilidade não tem nada a ver com a condição do tempo, ou seja, o dia pode estar bonito, com sol, mas o mar pode estar ruim para navegar. Existe portanto a possibilidade de chegarmos ao píer e o passeio não sair. As condições atmosféricas e de mar serão acompanhadas previamente pelos prognósticos e na medida do possível o eventual cancelamento da navegação será antecipado para não criar transtornos aos participantes.
  • Recomendamos que mesmo com previsão de tempo bom, todos levem agasalhos que protejam da chuva ou de respingos e principalmente do vento. A sensação de frio em mar aberto e com possíveis respingos da embarcação é bem mais intensa do que em terra. Por isto recomenda-se que os participantes estejam prevenidos. Embora estejamos ainda no inverno, também recomendamos o uso de chapéu e protetor solar.

 

Atividades do "Dia da Ave no Zoo", em parceria com o Parque Zoológico de Sapucaia do Sul
 

Local: Área externa do prédio da Educação Ambiental

Exposição lançamento do Varal Fotográfico do COA-POA (Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre), com 36 fotos mostrando uma pequena parte da avifauna gaúcha.

Exposição de peças do museu do Zoo relacionadas às aves: ninhos, ovos, banners, etc.

Posters educativos: quem são as aves, ameaças que sofrem, como podemos ajudar na sua conservação, tráfico.

Atividades para crianças: fornecimento de material para customizar aves de papel que serão colocadas na “árvore de passarinhos” no local.

Participação da equipe da Hayabusa ambiental, empresa de falcoaria.

Lista de saídas