No dia 17 de agosto de 2019 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre visitou o Parque Estadual de Itapuã – PEI.

O Parque Estadual de Itapuã é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, localizada no município de Viamão, abriga uma das últimas amostras dos ambientes originais da Região Metropolitana da capital gaúcha. O Parque iniciou o processo de criação ainda em 1973, com a primeira desapropriação de terras, e seguiu com anexação de terras até 1991. Hoje, conta com aproximadamente 5.500 hectares, ficou fechado à visitação por mais de 10 anos para recomposição dos ambientes e estruturação administrativa e reaberto em abril de 2002.

Nossa saída foi de apenas uma manhã e percorremos a Trilha da Praia das Pombas, nas primeiras horas da manhã, após a Trilha da Pedra da Visão. Tivemos como guia o Sr. Godoy (Índio).

O dia estava bom, ensolarado, temperatura em torno de 25ºC e foram observadas 44 espécies de aves, a maioria na Trilha da Praia das Pombas.

O passeio contou com a participação de 15 observadores, conforme lista abaixo e tivemos o acompanhamento do guia o Sr. Godoy (Índio). Após percorrer as trilhas o grupo assistiu a uma palestra institucional sobre o parque, na sede administrativa e ministrada pela equipe de educação ambiental.

As informações sobre o parque foram consultadas no site da Secretária do Meio Ambiente (link)

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo do saída.

Local: Jardim Botânico de Porto Alegre

Data e horário: 10/08/2019, das 8h10 às 9h30 iniciamos com a tradicional observação de aves

Condições do tempo: tempo encoberto, com vento forte. Temperatura em torno de 15ºC.

Número de participantes na observação de aves: 20

Total de espécies registradas: 30, sendo uma inédita para o Jardim Botânico: carão (Aramus guarauna). O Antônio Brum relatou as espécies observadas ressaltando o registro do carão. Lista de aves no eBird: https://ebird.org/view/checklist/S58929121

A reunião na escolinha do Jardim Botânico de Porto Alegre iniciou às 9h15, com as boas-vindas do Presidente Roberto Dall’Agnol. Tivemos a presença do Sr. Tom Keener, de nacionalidade inglesa, que está no Brasil há apenas 3 semanas, informou que pretende participar das nossas atividades e localizou nosso clube através do site. O Roberto enfatizou o crescimento dos sócios inscritos no clube(mais de 300), porém com queda de sócios-contribuintes (apenas 53 nesse ano contra mais de 80 há 5 anos atrás). Aumentar o número de doações é importante para termos apoio às atividades em desenvolvimento. As próximas atividades do clube serão a saída ao PE de Itapuã e a saída para Morro Reuter em 07/09. Foi explicado que existe uma lista de espera para Itapuã pois mais de 15 pessoas se inscreveram (limite imposto pelo PE Itapuã para fazer trilha com os condutores locais). Até segunda-feira será definido o grupo que poderá participar tendo em vista a quantidade de pessoas e que somente o Antônio poderá guiar os sócios. Ressaltada a participação do COA-POA no II AvisTchê em São Miguel das Missões em Setembro, onde levaremos nosso material promocional. O COA-POA será representado pelo Glayson, que irá proferir uma palestra, e através da Diretoria com o Antônio e o Roberto que cuidarão do estande. Outros sócios também irão e existe um tópico no fórum para combinar caronas.

Foi informada também nossa participação no Edital de Patrocínios do Banrisul, divulgado ainda em julho a todos os associados por email. A tabela de datas e os projetos apresentados seguem abaixo:

1

2

 

Em seguida o Glayson Bencke apresentou tópicos da recente saída na APA Banhado Grande. Foram realizados 3 percursos distintos, em Santo Antônio da Patrulha, com 91 espécies registradas. Destaques para as garças-azuis adulta e jovem (Egretta caerulea), para atividade de caça de um gavião-do-banhado (Circus buffoni). Deveremos retornar a esta localidade durante os meses de verão para registrar possíveis migrantes quando os arrozais estiveram cheios.

Nossa colega Soraya Ribeiro, bióloga e doutoranda do Programa de Pós-Graduação Diversidade e Manejo da Vida Silvestre da UNISINOS apresentou o assunto "Sítios Ramsar continentais do Brasil: áreas úmidas protegidas e refúgios para aves migratórias”. Dezenove áreas fizeram parte deste estudo, excentuando-se as áreas marinhas. A Convenção Ramsar versa sobre as zonas úmidas de importância internacional especialmente enquanto habitat de aves aquáticas, e foi assinada na cidade iraniana de Ramsar em 2 de Fevereiro de 1971. É um tratado internacional que entrou em vigor em 1975 tendo sido homologado pelo Congresso Brasileiro. O estudo apresentado mostrou dados das alterações de paisagem nas áreas já reconhecidas e o tipo de ameaça existente: urbana, agrícola, industrial, barragens, etc.

Logo depois Viviane Zulian, Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ecologia - UFRGS apresentou a palestra com o tema: "Importância de plataformas de ciência-cidadã (Wikiaves e e-Bird) para mapeamento de distribuição de espécies”. Ela focou o trabalho nos seus estudos sobre a distribuição do papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea) , principalmente na região oeste de Santa Catarina. Comparou alguns dados de distribuição desta espécie IUCN com dados obtidos do Wikiaves, eBird e Xeno-canto, demonstrando a importância da contribuição destes registros quando bem utilizados em trabalhos científicos.

A reunião foi encerrada ao meio-dia.

Nessa reunião estiveram presentes 32 pessoas.

Fotos das apresentações das colegas Soraya Ribeiro e Viviane Zulian

3

 

4

 

5

 

6

 

O dia estava com sol entre nuvens. Inicialmente, ocorreu a caminhada para observação das aves no Jardim Botânico. Durante a caminhada observamos 23 espécies, com destaque para os beija-flores preto e dourado nos mulungus em frente ao lago da entrada do parque. A lista pode ser consultada no eBird: https://ebird.org/view/checklist/S58167687

1

Iniciamos a reunião às 9h, com as boas-vindas do Presidente Roberto Dall’Agnol, que apresentou a pauta aos presentes. Logo em seguida, fez uma apresentação informando os novos canais de comunicação do Clube nas redes sociais (Instagram, facebook e twitter) e a importância dessas ferramentas para a divulgação das nossas atividades. Também foi incentivado que os sócios sigam e compartilhem nossas redes sociais. Outro assunto apresentado foi o anúncio do espaço para os associados relatarem viagens realizadas fora das atividades do COA durante as reuniões mensais, o “momento sócio”. Alguns sócios manifestaram interesse em relatar suas viagens e foi sugerido que escrevessem para o e-mail de contato do Clube para agendar a apresentação.

Com relação às próximas saídas do COA-POA, ficou decidido que a saída do Rio dos Sinos, que estava programada para o final de semana seguinte (20/07), será substituída por saída à APA do Banhado Grande.

Segundo o Diretor Técnico-científico Glayson Bencke, a saída para observação de aves pelágicas em Torres, já tradicional, deve ter alterações este ano e está planejada para agosto. Porém, este ano a organização da saída terá que sofrer alterações, pois houve mudanças no currículo das disciplinas de aves e mamíferos da UFRGS e a quantidade de alunos participantes será menor. Por essa razão, a saída terá que ser organizada pelo COA, que contará com o apoio logístico da UFRGS, e ustos por participante dependerão do número de inscrições que o clube conseguir captar. Foi sugerido que a saída tenha ampla divulgação e que os sócios se comprometam com o pagamento antecipado da taxa na hora da inscrição. Outros detalhes serão avisados ao longo das próximas semanas.

Seguimos falando sobre os eventos sobre observação de aves, como o que ocorrerá em setembro na região das Missões, o Avistchê II, que já está com as inscrições abertas

(http://www.avistarbrasil.com.br/av19/index.php/avistche2019).

Também foi falado sobre outro evento a ser realizado em novembro no Uruguai, a “IX Feria de Aves de Sudamerica” (mais informações aqui: http://www.birdfair.net). Informações serão enviadas por email aos associados.

Foi comentado pelo Presidente o status do Relatório Social do Clube para os anos 2017 e 2018, documento exigido legalmente para divulgar as atividades realizadas. A sócia Marisa Costa se prontificou a ajudar na formatação do documento, mas caso necessário foi consensuado pelos presentes contratar empresa ou profissional para diagramar o documento.

Antônio Brum seguiu a pauta apresentando um resumo do que foi tratado na reunião do Conselho Consultivo do Refúgio de Vida Silvestre Banhado dos Pachecos, do qual o COA-POA faz parte. Nessa reunião foram apresentadas as novas instituições que entraram na composição do Conselho, sendo o COA-POA uma dessas instituições. Também foi discutida a redefinição dos limites da Unidade de Conservação, por meio da permuta de uma área do Refúgio pelo Banhado das Caturrias. Foi discutido, por fim, o andamento do Plano de Manejo da Unidade e possíveis projetos, como a construção de placas sinalizadoras nas trilhas e guarita de observação de aves para os visitantes utilizando medidas compensatórias. Novas reuniões do conselho acontecerão em setembro e são abertas aos interessados, no entanto, foi lembrado que somente podem votar os membros do COA-POA indicados como titular e suplente.

O Diretor-financeiro Luiz Finkelstein apresentou o relatório financeiro relativo ao primeiro semestre de 2019 (veja no link). Nesse momento, foi aberta uma discussão sobre novas formas de arrecadação de recursos financeiros para o Clube, no sentido de facilitar o apoio a novos projetos. Ficou sugerida a criação de novas categorias de contribuição para que a anuidade pudesse ser efetuada por mais sócios, pois o número de sócios inscritos tem crescido continuamente (hoje já somos mais de 300) mas o de sócios-contribuintes têm-se reduzido nos últimos anos (de 85 para apenas 50).

Para finalizar a reunião, recebemos o Biólogo Maurício Tavares, do Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos da UFRGS, o CECLIMAR, que relatou as atividades realizadas pelo centro. O CECLIMAR faz o monitoramento e o resgate de animais marinhos no litoral norte do Estado. O enfoque principal da palestra foi como os resíduos sólidos gerados pela espécie humana podem impactar a vida das aves e outros animais marinhos. Foram apresentadas as principais ordens de aves que frequentam a costa do RS, os principais motivos de chegada e quais as principais causas de óbitos dos animais. Além de possibilitar um debate sobre o tema, foram apresentados exemplos de boas práticas ambientais, como a substituição do uso de materiais descartáveis por materiais mais resistentes e que não contribuam para a geração de resíduos sólidos e descartes incorretos.

Na reunião estiveram presentes 19 pessoas.

2

Fotos

Links para fotos do associado Wilson Mallman:
https://www.wikiaves.com.br/3417861&tm=f&t=b&o=dp&desc=1&o=dp
https://www.wikiaves.com.br/3417862&tm=f&t=b&o=dp&desc=1&o=dp
https://www.wikiaves.com.br/3417860&tm=f&t=b&o=dp&desc=1&o=dp