O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre realizou sua terceira visita ao Parque Estadual do Espinilho, no município de Barra do Quaraí, Rio Grande do Sul, entre os dias 26 a 29 de maio de 2016.

O Parque Estadual do Espinilho é uma Unidade de Conservação, com área de 1.617 ha, criada em 1975, mas que ainda não foi totalmente regularizada e algumas partes são utilizadas para criação de gado por antigos proprietários de terras da região.

No entanto, é um lugar que possui os últimos remanescentes de Quebracho e Algarroba que formam uma espécie de savana, única conhecida no Brasil. Além dessa vegetação exuberante e rara o parque também abriga espécies de aves que só ocorrem nesse cantinho do Brasil, algumas delas raras e a beira da extinção como é caso do Cardeal-amarelo, Rabudinho e Corredor-crestudo.

No dia 14 de maio de 2016 o COA-POA realizou duas saídas a campo para participar do dia mundial de observação de aves, o Global Big Day. Um grupo com seis participantes foi para o Refúgio de Vida Silvestre Banhado dos Pachecos (RVSBP), em Viamão, enquanto outro grupo, com quatro participantes, foi para Morro Reuter (MR) e Santa Maria do Herval (SMH). As condições climáticas estavam muito boas, com predomínio de sol, pouco vento e temperatura amena, o que favoreceu as observações. No total os dois grupos de observadores registraram 142 espécies ao longo do dia (102 no RVSBP e 68 em MR/SMH). As listas de espécies foram enviadas para o eBird, no intuito de colaborar para o banco de dados do Global Big Day (www.ebird.org/ebird/globalbigday)

Clique aqui para baixar o relatório completo.

No dia 23 de abril de 2016 o COA-POA realizou a primeira saída com o objetivo específico de registrar aves costeiras marcadas com bandeirolas e anilhas. O pequeno grupo de participantes (sete observadores em três carros) iniciou o percurso às 09h30min, em Magistério (Balneário Pinhal), e se deslocou aproximadamente 15 km pela beira da praia, na direção sul.

A principal espécie em questão foi o maçarico-de-papo-vermelho (subespécie Calidris canutus rufa), uma ave migratória que se reproduz no Hemisfério Norte (principalmente no Norte do Canadá) e possui seus principais sítios de invernagem no sul da América do Sul. Entre o final de abril e o início de maio, muitos indivíduos estão retornando para os locais de reprodução, aumentando as chances de serem observados no litoral do Rio Grande do Sul durante essa migração. Muitos desses indivíduos são marcados com “bandeirolas” e/ou anilhas coloridas, o que permite a identificação e individualização das aves.

Entre os dias 12 e 13 de março de 2016 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre realizou sua 8ª visita ao Parque Nacional Lagoa do Peixe – PNLP.

Foram dois dias de bastante sol, com temperaturas, durante o dia, em torno de 26ºC. Havia bastante vento e muitas áreas do Parque estavam alagadas em razão do excesso de chuvas recentes. Isto dificultou o acesso às trilhas, como
também a observação das aves, embora tenha sido uma saída com muitos registros.

Relatório

Para baixar o relatório, clique aqui.

Fotos

No dia 20 de fevereiro de 2016 o COA-POA realizou a primeira saída “relâmpago” para observação de aves. Esta nova modalidade consiste em saídas não previstas no calendário anual de atividades do clube e que são organizadas com poucos dias de antecedência (geralmente uma semana), dependendo das condições do tempo e disponibilidade dos participantes. Ao longo de uma manhã foram registradas 50 espécies de aves, percorrendo-se grande parte da área do Jardim Botânico.

De 06 a 09 de fevereiro de 2016, realizamos a sexta edição da já tradicional saída de carnaval do Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre (COA-POA) à Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA). A FLONA é uma unidade de conservação (UC) de uso sustentável administrada pelo ICMBIO – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, localizada no município de mesmo nome, na região nordeste do Rio Grande do Sul.

A superfície da FLONA é de 1.606 ha e as altitudes giram em torno dos 900 metros. A área protege importantes remanescentes de floresta ombrófila mista (mata com araucária), entremeados com antigos plantios de araucária, pinheiros exóticos e eucalipto. Está situada na borda oriental do Planalto das Araucárias, no topo da chamada Serra Geral. Como resultado dessa situação topográfica, as florestas são muito úmidas, por causa da frequente condensação da umidade trazida pelos ventos ascendentes vindos do litoral.

Relatório

Para baixar o relatório completo, clique aqui.

O COA-POA visitou, pelo terceiro ano consecutivo, a Estação Experimental Agronômica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EEA-UFRGS) para observação de aves. A EEA-UFRGS localiza-se no Km 160 da rodovia BR-290, em Eldorado do Sul.

Do total 1.560 hectares, há uma área de 150 hectares destinada à preservação de ambientes naturais encontrados na Depressão Central do Rio Grande do Sul, que constitui uma das poucas áreas ainda não exploradas intensamente pelo homem nesta importante região do estado, onde os biomas Mata Atlântica e Pampa se encontram.

Num belíssimo domingo de primavera, com uma brisa fresca e um clima agradável, acolhidos pelo Osmar Sehn, no salão de festas do prédio onde mora no bairro Menino Deus em Porto Alegre, encontraram-se os associados do COA-POA para a confraternização de final de ano. A data escolhida foi o dia 6/12/2015.

Antes da confraternização, para transmissão de informações da diretoria que se despede para a diretoria que assume a condução do nosso clube, às 10 horas da manhã, reuniram-se antigos e novos integrantes das diretorias. Em pouco mais de uma hora de trabalho os detalhes mais importantes da presidência e das diretorias técnico-científica e administrativo-financeira foram abordados. Antônio Brum, nosso novo vice-presidente, anotou tudo para que nenhum detalhe seja esquecido.

Desde 2012 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre não visitava o Parque Estadual do Turvo, no extremo norte do estado. Assim como as visitas anteriores, foi uma saída muitíssimo produtiva em termos de registros, apesar do tempo chuvoso em quase todo o período. Estabelecemos um novo recorde de número de espécies registradas em saídas do COA: 197!
Registramos, ainda, aves que nunca haviam sido observadas em saídas do clube, como a jacutinga, o papa-lagartas-de-euler, a guaracava-grande e a viuvinha. Outra novidade foi a participação no Big Day Brasil Primavera, no dia 10, quando atingimos a marca de 144 espécies observadas em um único dia! Confira os resultados no relatório abaixo.

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre (COA-POA), após quase dois anos, realizou a segunda visita à Estação Ecológica do Taim desde a sua reativação em 2009.
Esse é um local tradicionalmente visitado pelo COA desde a década de 1980, quando o clube teve a oportunidade de realizar várias saídas ao Taim, uma delas acompanhada pelo ornitólogo norte-americano William Belton.
 

O COA-POA visitou pela segunda vez a área da Estação Experimental Agronômica (EEA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foram registradas 70 espécies, apenas uma a menos do que na visita anterior, em 2014.

A EEA localiza-se no km 160 da rodovia BR-290, em Eldorado do Sul. Do total de 1560 hectares, há uma área de 150 hectares destinada à preservação de ambientes naturais encontrados na Depressão Central do Rio Grande do Sul, que constitui uma das poucas áreas ainda não exploradas intensamente pelo homem nesta importante região do estado, onde os biomas Mata Atlântica e Pampa se encontram.

Lista de saídas