O COA-POA visitou, pelo terceiro ano consecutivo, a Estação Experimental Agronômica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EEA-UFRGS) para observação de aves. A EEA-UFRGS localiza-se no Km 160 da rodovia BR-290, em Eldorado do Sul.

Do total 1.560 hectares, há uma área de 150 hectares destinada à preservação de ambientes naturais encontrados na Depressão Central do Rio Grande do Sul, que constitui uma das poucas áreas ainda não exploradas intensamente pelo homem nesta importante região do estado, onde os biomas Mata Atlântica e Pampa se encontram.

Num belíssimo domingo de primavera, com uma brisa fresca e um clima agradável, acolhidos pelo Osmar Sehn, no salão de festas do prédio onde mora no bairro Menino Deus em Porto Alegre, encontraram-se os associados do COA-POA para a confraternização de final de ano. A data escolhida foi o dia 6/12/2015.

Antes da confraternização, para transmissão de informações da diretoria que se despede para a diretoria que assume a condução do nosso clube, às 10 horas da manhã, reuniram-se antigos e novos integrantes das diretorias. Em pouco mais de uma hora de trabalho os detalhes mais importantes da presidência e das diretorias técnico-científica e administrativo-financeira foram abordados. Antônio Brum, nosso novo vice-presidente, anotou tudo para que nenhum detalhe seja esquecido.

Desde 2012 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre não visitava o Parque Estadual do Turvo, no extremo norte do estado. Assim como as visitas anteriores, foi uma saída muitíssimo produtiva em termos de registros, apesar do tempo chuvoso em quase todo o período. Estabelecemos um novo recorde de número de espécies registradas em saídas do COA: 197!
Registramos, ainda, aves que nunca haviam sido observadas em saídas do clube, como a jacutinga, o papa-lagartas-de-euler, a guaracava-grande e a viuvinha. Outra novidade foi a participação no Big Day Brasil Primavera, no dia 10, quando atingimos a marca de 144 espécies observadas em um único dia! Confira os resultados no relatório abaixo.

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre (COA-POA), após quase dois anos, realizou a segunda visita à Estação Ecológica do Taim desde a sua reativação em 2009.
Esse é um local tradicionalmente visitado pelo COA desde a década de 1980, quando o clube teve a oportunidade de realizar várias saídas ao Taim, uma delas acompanhada pelo ornitólogo norte-americano William Belton.
 

O COA-POA visitou pela segunda vez a área da Estação Experimental Agronômica (EEA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foram registradas 70 espécies, apenas uma a menos do que na visita anterior, em 2014.

A EEA localiza-se no km 160 da rodovia BR-290, em Eldorado do Sul. Do total de 1560 hectares, há uma área de 150 hectares destinada à preservação de ambientes naturais encontrados na Depressão Central do Rio Grande do Sul, que constitui uma das poucas áreas ainda não exploradas intensamente pelo homem nesta importante região do estado, onde os biomas Mata Atlântica e Pampa se encontram.

Resumo 

O COA–POA visitou, pelo quinto ano consecutivo, o Refúgio de Vida Silvestre Banhado dos Pachecos, em Viamão, RS. Nessa região se localizam as nascentes do rio Gravataí, um dos fluentes do rio Guaíba. A área de preservação citada possui 2.500 hectares. O dia estava nublado, com nevoeiro, mas sem chuva.

O grande sucesso da saída do COA ao Parque Estadual do Espinilho em 2014 levou o grupo de volta a esse pedacinho muito especial do Rio Grande do Sul, onde se podem ver espécies que não são encontradas em nenhuma outra parte do país. O Parque situa-se no extremo oeste do Rio Grande do Sul, no município de Barra do Quaraí, e protege os últimos remanescentes de vegetação de parque espinilho – ou estepe parque – no Brasil. Uma inovação deste ano foi a “esticada” até a localidade de Pai Passo (30°16’25”S, 57°25’45”W), por sugestão do casal de observadores Ricardo de Oliveira e Gina Bellagamba, de Uruguaiana, que encontramos por lá. Observamos um total de 112 espécies, sendo 93 dentro do Parque. Fizemos o segundo registro no Rio Grande do Sul do pica-pau-anão-barrado e outros importantes registros de espécies raras ou ainda pouco conhecidas no estado, como o cardeal-amarelo, o olho-de-ouro, o alegrinho-trinador, a maria-cavaleira e a iraúna-de-bico-branco.

Relatório

Para baixar o relatório, clique >>aqui<<

Fotos e links 

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre participou, pela quarta vez, da saída embarcada para observação de aves e mamíferos marinhos organizada pelo professor Ignacio Moreno, do curso de Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O barco fretado saiu do píer de embarcações turísticas do rio Mampituba, na cidade de Torres, para um deslocamento ao alto-mar, passando pelo Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos. Dez integrantes do COA-POA estiveram presentes. Além dos estudantes da UFRGS, participaram da saída estudantes da cidade de Lajeado.
 

Resumo 

A segunda visita do COA-POA ao Parque Estadual de Espigão Alto rendeu excelentes observações, tal como a primeira, em 2014. Registramos 128 espécies, das quais 100 no interior do parque. Uma espécie, a jaçanã, constituiu novidade para a unidade de conservação, mas o bacurau, caturrita, chopim-do-brejo e asa-de-telha, observados nos arredores, também não possuíam registros prévios na área. Mais uma vez foram muito bem observados a coruja-de-igreja, os papagaios-de-peito-roxo, o barbudinho, o bico-grosso, a figuinha-de-rabo-castanho e o negrinho-do-mato. Espécies apenas registradas em 2014 que puderam ser bem visualizadas este ano foram o arapaçu-grande-de-garganta-branca, o miudinho e a coruja-listrada. O registro da trovoada-de-bertoni foi muito comemorado, pois mostra que essa espécie ameaçada ainda persiste na área. As observações mais empolgantes ficaram por conta de um trio de sanhaços-de-fogo ao sul da vila de Espigão Alto e de um par de joões-bobos perto do parque.

Relatório

Para baixar o relatório, clique >>aqui<<

Fotos e links 

Resumo 

No dia 12 de abril de 2015, o COA-POA visitou, pela segunda vez, estradas rurais dos municípios de Morro Reuter e Santa Maria do Herval. A saída anterior à região ocorreu em outubro de 2013. Percorremos um pequeno trecho da Linha Cristo Rei, em Morro Reuter, e 2,3 km de estrada no vale do rio Loch, em Santa Maria do Herval. Observamos 79 espécies. Na Linha Cristo Rei, o destaque foi um macho de corocoxó, observado repetidas vezes. Nesse mesmo ponto, registramos ainda o piolhinho-chiador, pica-pau-anão-carijó, pinto-do-mato, piolhinho-verdoso e sanhaçu-frade, entre várias outras espécies. No vale do rio Loch, as observações incluíram um joão-velho, um belo macho de surucuá-variado alimentando-se de uma enorme taturana verde e um casal de saís-azuis, além do patinho, verdinho-coroado, abre-asa-de-cabeça-cinza, dançador, beija-flor-de-topete e alma-de-gato. Uma correição de jovens aranhas caranguejeiras atravessando a estrada no rio Loch surpreendeu a todos.

Relatório

Para baixar o relatório completo, acesse >>este link<<. 

Fotos e links 

Resumo 

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre – COA-POA – realizou sua sétima visita ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe desde a sua reativação, em maio de 2009. Com aproximadamente 32.000 ha, o parque é considerado um "santuário das aves migratórias", compreendendo diversos ecossistemas importantes para espécies residentes e migratórias.

Relatório

Para baixar o relatório completo, acesse >>este link<<. 

Fotos e links 

Lista de saídas