O COA-POA não visitava a Reserva Biológica (REBIO) Estadual Mata Paludosa desde 2015. Essa unidade de conservação abrange remanescentes de Mata Atlântica de baixada e de encosta no município de Itati e foi criada em 1998 como compensação aos impactos da construção da Rodovia Rota do Sol, que atravessa a área. A superfície da reserva é de 272 ha e as altitudes variam entre 30 e 350 metros sobre o nível do mar.

Registramos ao todo 106 espécies e contamos 519 indivíduos em cerca de nove horas de observações. A grande maioria foi registrada no interior da REBIO. Apenas o taperuçu-velho Cypseloides senex e o pica-pau-de-cabeça-amarela Celeus flavescens foram vistos fora da reserva, junto ao ponto de encontro. No relato a seguir são apresentados o itinerário da saída e as observações mais relevantes. Links remetendo a fotos publicadas no WikiAves (www.wikiaves.com.br) fazem referência à documentação disponível para alguns registros. As listas de espécies observadas em cada trecho da excursão podem ser consultadas no eBird nos seguintes links: https://ebird.org/checklist/S61129461, https://ebird.org/checklist/S61126555 e https://ebird.org/checklist/S61127987.

Nossos agradecimentos ao guardaparque Cardoso, pela companhia durante as observações da manhã, e à gestão da unidade de conservação, pela autorização para a visita.

Relatório

Clique neste link para baixar o relatório completo da saída.

Foi realizada entre 20 e 22 de setembro de 2019, no Hotel Tenondé, em São Miguel das Missões, a segunda edição do AvisTchê, evento que reúne observadores de aves do RS. Seguindo o exemplo do primeiro AvisTchê, realizado em Porto Alegre em 2017, o encontro reuniu observadores de aves de todas as regiões do estado e incluiu em sua programação atividades de campo, palestras, brincadeiras para crianças, exposições fotográficas e atividades culturais.

O COA-POA participou com um estande no local do evento e com a presença de 12 associados, que participaram das diversas atividades.

Os participantes foram convidados a assistir o show noturno nas Ruínas de São Miguel, uma das reduções jesuíticas da região das Missões, e a ouvir uma interessante palestra sobre os povos jesuíticos, realizada no próprio Hotel Tenondé.

Com quase 100 participantes inscritos, as palestras foram abertas no sábado pelo nosso colega Glayson A. Bencke, que abordou o tema “Além das aparências: o que a plumagem nos diz sobre as aves”. A seguir, Roberto Tomasi falou sobre seu trabalho de conservação dos papagaios-de-peito-roxo, principalmente a confecção e instalação de ninhos de madeira para auxiliar na nidificação dessa espécie ameaçada em áreas degradadas.

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo.

Clique neste link para acessar a relatório do evento no blog do Ave Missões.

No dia 8 de setembro de 2019, o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre visitou novamente o interior do município de Morro Reuter para observação de aves. Essa área está localizada a 7,5 km da cidade de Morro Reuter e a aproximadamente 72 km de Porto Alegre. Trata-se de uma região montanhosa, com vegetação nativa exuberante, onde se pode avistar muitas aves.

O tempo pela manhã estava encoberto, com chuvas esparsas e nevoeiro; a partir das 10h o tempo abriu um pouco mais e a temperatura manteve-se em torno de 25°C durante toda a manhã.

O Grupo se encontrou no pórtico de entrada para a cidade de Ivoti, às 07:30h, depois se dirigiu para o Balneário Rio Loh, de onde iniciou a caminhada pela Estrada Walachai.

Relatório

Clique aqui para baixa o relatório completo.

No dia 17 de agosto de 2019 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre visitou o Parque Estadual de Itapuã – PEI.

O Parque Estadual de Itapuã é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, localizada no município de Viamão, abriga uma das últimas amostras dos ambientes originais da Região Metropolitana da capital gaúcha. O Parque iniciou o processo de criação ainda em 1973, com a primeira desapropriação de terras, e seguiu com anexação de terras até 1991. Hoje, conta com aproximadamente 5.500 hectares, ficou fechado à visitação por mais de 10 anos para recomposição dos ambientes e estruturação administrativa e reaberto em abril de 2002.

Nossa saída foi de apenas uma manhã e percorremos a Trilha da Praia das Pombas, nas primeiras horas da manhã, após a Trilha da Pedra da Visão. Tivemos como guia o Sr. Godoy (Índio).

O dia estava bom, ensolarado, temperatura em torno de 25ºC e foram observadas 44 espécies de aves, a maioria na Trilha da Praia das Pombas.

O passeio contou com a participação de 15 observadores, conforme lista abaixo e tivemos o acompanhamento do guia o Sr. Godoy (Índio). Após percorrer as trilhas o grupo assistiu a uma palestra institucional sobre o parque, na sede administrativa e ministrada pela equipe de educação ambiental.

As informações sobre o parque foram consultadas no site da Secretária do Meio Ambiente (link)

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo do saída.

O COA-POA realizou sua primeira saída à recém criada Reserva Particular do Patrimônio Natural Barba Negra, localizada dentro do Horto Florestal Barba Negra, da Companhia Riograndense de Celulose.

Essa RPPN possui 2,5 mil ha, representando aproximadamente 25% da área total do Horto Florestal, onde a principal atividade é o cultivo de mudas e o plantio de eucaliptos. Antiga Fazenda, com passado histórico na Guerra dos Farrapos, o Horto está localizado no município de Barra do Ribeiro, à beira do Rio Guaíba e na margem oposta ao Parque Estadual de Itapuã, no limite entre o Guaíba e a Lagoa dos Patos.

As áreas reservadas para observação fazem parte da RPPN, e compreendem diferentes fisionomias do relevo e vegetação do local:

  1. O Morro da Formiga, com mata bem preservada, na ponta sul do Horto.
  2. A praia dos pescadores, praia arenosa com pedras e borda de mata de restinga.
  3. A região onde estão localizadas construções antigas e árvores frutíferas, o casarão, capela e casas do século 18, e ao lado, as estufas de mudas
  4. A portaria de acesso ao parque com mata ciliar, o arroio Araçá e pequenos banhados

Listas de aves observadas

1. Portaria : https://ebird.org/view/checklist/S56520375
2. Casarão : https://ebird.org/view/checklist/S56520367
3. Morro da Formiga : https://ebird.org/view/checklist/S56520374
4. Ponta dos Pescadores : https://ebird.org/view/checklist/S56520372
5. Estrada de acesso : https://ebird.org/view/checklist/S56520371

Relatório

Para baixar o relatório completo da saída, clique aqui.

No dia 4 de maio de 2019, o COA-POA organizou três saídas a campo para participar do dia mundial de observação de aves, o Global Big Day. Este é o quarto ano consecutivo em que o COA-POA participa desse evento, com o objetivo de contribuir com registros para o Rio Grande do Sul e incentivar cada vez mais a atividade de observação de aves em nosso meio. Um grupo, com sete participantes, visitou a Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger (Rebio Lami), em Porto Alegre. Um segundo grupo, com dez participantes, deslocou-se até a localidade de Alto Ferrabraz, em Sapiranga. Finalmente, um terceiro grupo, com apenas 3 participantes, percorreu um trecho de 121 km da costa oceânica do estado, entre Balneário Pinhal e Tavares, incluindo trilhas dentro do PN Lagoa do Peixe.

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo.

O COA-POA fez sua primeira visita oficial à Ponta Grossa, na zona sul de Porto Alegre, local ainda pouco explorado como destino de observadores de aves na capital gaúcha. Com 22 participantes, foi uma saída agradável, não só pelas espécies observadas, mas também pela paisagem de surpreendente beleza desse trecho da orla do Guaíba. Percorremos duas trilhas ao longo da manhã, totalizando pouco menos de 4 km de caminhada. Observamos 68 espécies, algumas de ocorrência restrita em Porto Alegre, como o tiê-preto, o arapaçu-grande e o pichororé. Confira no relatório as espécies observadas.

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo

No dia 27 de novembro de 2018 o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre visitou a Reserva Biológica do Lami José Lutzemberger.

Conhecida como Reserva Biológica do Lami é uma Unidade de Conservação, com 174 hectares, criada em 1975, como forma de preservar um arbusto trepador lenhoso (Ephedra tweediana) nativo com ocorrência neste local.

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo.

No dia 29 de setembro de 2018, após 5 anos da última visita oficial, o Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre – COA/POA volta ao Parque Marechal Mascarenhas de Moraes (PMMM), em Porto Alegre-RS.

Este Parque localiza-se no bairro Humaitá e foi inaugurado em 1982. Possui 18,3 hectares. Grande parte do parque é formada por banhados, mas possui amplas áreas de laser com pista para corrida, quadra de esporte, patinação e parques infantis. O destaque da paisagem do parque são os eucaliptos secos que permanecem em pé e estão presentes em grande parte da área de banhado.

Outra grande atração do parque são as colônias reprodutivas de várias espécies de garças e tapicurus que ocupam, entre outubro à abril, grande extensão da vegetação existente no banhado. À noite este parque também serve de dormitório para estas aves e diversas outras espécies.

Relatório

Clique aqui para baixar o relatório completo.

Entre os dias 18 e 20 de janeiro de 2019, um grupo de associados do Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre (COA/POA), estiveram visitando o Parque Estadual do Tainhas (PET), tendo como guia Eduardo Chiarani, que está estudando algumas espécies de aves no local. Foi a primeira saída de campo do ano de 2019 organizada por sócios do COA/POA.

Toda a organização da saída e jantas foram organizadas pela associada Vanessa Canabarro e seu esposo, Dieter Potter.

O PET está localizado na região dos Campos de Cima da Serra, no nordeste do Rio Grande do Sul. É uma unidade de conservação (UC) de proteção integral, criada em 1975, que possui uma área de 6.654 ha, abrangendo porções dos municípios de Jaquirana, São Francisco de Paula e Cambará do Sul. O parque é reconhecido como Área Importante para a Conservação das Aves (IBA), dada sua importância para a conservação de aves ameaçadas de extinção.

Relatório

Para baixar o relatório completo, clique aqui.

Fotos

facebook 1552245141424

 

 Falcão de coleira 0011342

 

IMG 3537

 

Pomba galega

 

Quem te vestiu 0011241

 

Snapseed

O Clube de Observadores de Aves de Porto Alegre convida seus associados e amigos a participarem da saída de campo para observação de aves no Parque nacional da Lagoa do Peixe, localizado nos Municípios de Tavares e Mostardas/RS.

Data: 06 a 07 de Abril de 2019.

O ponto de encontro será dia 06/04, às 9hs no Hotel Estrela do Mar, em Mostardas. A viagem de Porto Alegre até Mostardas demora cerca de três horas (não podemos aguardar eventuais atrasos para não prejudicar a programação)

Vagas: 20 pessoas.

Transporte: carros particulares (rateio dos custos entre os ocupantes dos veículos).

Alojamento: Hotel Estrela do Mar, Av Pinheiro Machado 711 - Centro, Mostardas/RS. Os quartos poderão ser duplos, triplos ou quádruplos, dependendo da disponibilidade. Também serão disponibilizados quartos na Pousada Pouso Alegre, Av. Padre Simão, 1117, Mostardas/RS.

Alimentação: Café da manhã incluído na diária. Almoço: sugerimos levar um lanche para comer na trilha. Eventualmente voltaremos a algum local que possua lancheria ou restaurante mas depende das condições do tempo e das trilhas. Jantar será em restaurantes locais, a combinar.

Atividades:

05/04 - Deslocamento do seu local de origem até o Hotel em Mostardas. Pernoite no Hotel.

06/04 - 9:00 Encontro na frente do Hotel. Trilha do Balneário Mostardense, seguindo pela praia, Trilha das Dunas e Talha-Mar

18:00 Encerramento.

20:00 Jantar livre.

07/04 - 7:00 Trilha Barra da Lagoa. Após almoço retorno pela praia. Saída pela Trilha do Talha-Mar ou, opcionalmente, retornar pelo Litoral até o Farol de Mostardas.

16:00 Retorno a P.Alegre.

As atividades poderão ser alteradas no local pela diretoria técnico-científica em função de aspectos técnicos ou climáticos.

Valores: Com uma diária (06/04) R$85,00 sócios em dia com a contribuição anual. R$110,00 sócios-não-contribuintes.

Com duas diárias(05 e 06/04) R$170,00 sócios em dia com a contribuição anual. R$220,00 sócios não-contribuintes.

O valor inclui o hotel (1 ou 2 noites), café da manhã, o instrutor das trilhas e contribuições para a unidade de conservação.

Menores de idade: nesta saída serão admitidos menores de idade entre 12 anos e 16 anos incompletos, acompanhados de pelo menos um dos pais ou responsável.

Menores com 16 anos completos ou mais poderão ir desacompanhados, desde que levem autorização por escrito de pelo menos um dos pais ou responsável legal.

Critério de preenchimento de vagas: As vagas serão preenchidas até o limite acima indicado conforme a ordem cronológica dos pagamentos a serem realizados através de boleto ou cartão de crédito pelo sistema PagSeguro (botões abaixo), de acordo com o seguinte critério:

- Até o dia 31/03/2019 as vagas estarão disponíveis apenas para associados que tenham recolhido a anuidade de 2019.

- A partir de 01/04/2019 as vagas restantes estarão disponíveis também para os associados que não tenham recolhido a anuidade de 2019.

- As inscrições encerram-se impreterivelmente no dia 02/04/2019 às 18:00hs.

  Uma diária Duas diárias
Sócio contribuinte 2019
Sócio não-contribuinte 2019  A partir de 01/04/2019  A partir de 01/04/2019

 

Somente o pagamento garante a vaga ao participante. Pagamentos que eventualmente forem realizados após o preenchimento do limite de vagas serão devolvidos integralmente. Em caso de desistência o valor pago somente será devolvido se houver lista de espera para preenchimento da vaga da pessoa desistente. Inscrição e detalhes da saída: após o pagamento pelos botões abaixo confirme a sua inscrição através do Fórum do COA-POA neste link. Ali você também poderá oferecer, solicitar e combinar caronas e esclarecer dúvidas.

Observações finais:

Leia atentamente as normas de comportamento ético que devem ser seguidas por todos os observadores de aves, conforme consta no Manual de Ética do COA-POA

Leve seu guia de identificação, lista de campo e binóculo.

Proteja-se contra os raios solares intensos no litoral.

É sugerida a utilização de calçados adequados para caminhadas, em trilhas eventualmente enlameadas e levem capa de chuva. 

Providencie meios de transportar água e comida necessária para as caminhadas. 

Se você vai fotografar, não esqueça de levar uma ou mais baterias de reserva (carregadas), bem como cartões de memória suficientes para muitas fotos. 

As condições de trânsito nas trilhas do PARNA Lagoa do Peixe são variáveis em função dos ventos, areia, movimentação das dunas, chuvas. Na maioria das saídas já realizadas os veículos com tração simples conseguiram transitar pelas trilhas. No entanto, devido às condições climáticas os veículos com tração simples, ou com vão livre muito baixo em relação ao solo, podem eventualmente ter dificuldades em ultrapassar alguns trechos.

A Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA) é uma das unidades de conservação mais visitadas pelo COA-POA. Esta foi a oitava vez que visitamos a área. O tempo colaborou e os resultados foram excelentes. O número total de espécies registradas (135) foi o segundo maior até agora em saídas do COA-POA à FLONA. Sete espécies ainda não haviam sido registradas em saídas do clube à área: urubu-rei, gavião-tesoura, suindara, rabo-branco-de-garganta-rajada, falcão-relógio, pedreiro e sanhaço-de-encontro-azul. Duas delas não constavam na lista de aves da FLONA, o rabo-branco-de-garganta-rajada e o pedreiro. Alguns destaques foram um urubu-rei adulto, um bando de pelo menos 17 gaviões-tesoura, um arapaçu-grande-de-garganta-branca bem visto, um casal de caneleirinhos-de-chapéu-preto, um bico-grosso e o primeiro registro pelo COA-POA do sanhaço-de-encontro-azul. O inesquecível encontro com quatro (isso mesmo, quatro!) águias-cinzentas no Morro dos Cavalos foi o ponto alto da saída.

Relatório

Para baixar o relatório completo, clique aqui.

Lista de saídas